>

domingo, 8 de dezembro de 2013

Mas trago de cabeça uma canção do rádio

Penso que o Planalto Central pensou bem vezes antes de fazer aparecer na minha frente as pessoas que ele  achou que eu merecia. Sinto que às vezes sou injusta pq num mundo de gente tão só, eu tenho tanto afago de quem senta na minha cama e não me julga quando falo que tenho vontade de largar tudo por amor. Emprego, estudo, os poucos móveis. Quando eu falo do quanto gosto de morar aqui e de como esse gostar não tem o menor sentido quando penso no meu futuro, nos meus sonhos bobos.
Uma saudade imensa, umas coisas que não se explicam, Assim em palavras fáceis. Sem códigos. Ouvindo Belchior e numa vontade de ir pra França visitar as amigas. Um desejo imenso de conversar com meu pai, de perguntar como ele tá. De desejar Feliz Natal. Feliz ano novo, Feliz carnaval, Feliz páscoa. Feliz dia dos pais. E depois, Feliz Natal de novo.


Mas sei
que tudo é proibido.  Aliás, eu queria dizer que tudo é permitido até beijar você no escuro do cinema quando ninguém nos vê.

Nenhum comentário: