>

quarta-feira, 15 de outubro de 2014



Chegou a hora de desver. Tanto tempo sem escrever uma linha só e a única coisa que penso é isso.  É veia, sangue, coração.  Vou desatar, mas não vou me acender agora. Vou parar de criar, de pensar, de contar mil anos atrás, o ano que eu nasci.
Cansei de quase tá cansada. Dois mil e quatorze.  Vou me desver.  Vai,vai sarar. A boca da solidão é grande. A disciplina é parente da chatice.


Então é isso, meus caros. Leiam a placa: é proibido cochilar!

Nenhum comentário: