>

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Olhos de águas vindas de outros oceanos


Ouvindo um velho álbum do Skank me peguei pensando em como sinto saudade de uma época da minha vida.
Sei que  é divino e maravilhoso viver o que agora acontece.
 O que me faz falta é ser mais sensível, mais sorridente, mais conhecedora de discos novos ou velhos.
Saudade de tardes gostosas com cara de tarde.
Saudade de descobrir,
Saudade da paixão apaixonante  por quase tudo novo. Por gente, por arte, por ser livre.
De lutar para ser assim.
Topar qualquer parada. No fear.
Acho que me tornei uma velha chata cheia de boletos.
Mas ouvindo essas canções hoje percebo que meu coração não morre.
Tanto mar que ainda vem
Amores imperfeitos.
Peito aberto.
Todo dia é dia de viver






Um comentário:

raquel disse...

uma vez um passarinho me disse que a vida não corre nem é curta, nós é que conversamos pouco com ela. aprender a esvaziar é uma arte difícil de dominar nessa época da vida em que o mundo parece pesar quilos. mas entender que isso é um exercício é o mais importante passo do caminhar para seguir crescendo.

a gente chega lá!
e quando a gente chegar vai ser um baita reencontro de vidas.

<3